Somengil

Gestão / Artigos

8 ferramentas da qualidade indispensáveis

Conheça 8 ferramentas da qualidade indispensáveis para criar uma cultura de melhoria contínua.

8 ferramentas da qualidade indispensáveis

Tempo de leitura12 minutos de leitura

2023-02-09 18:29:41

O que é Qualidade? Segundo a definição clássica, diz-se que um produto “tem” qualidade quando respeita uma série de padrões ou requisitos preestabelecidos. Ao longo de décadas, produzir menos do que “x” defeitos, conseguir desvios inferiores a “y” milímetros ou registrar menos do que “z” falhas foram sinônimos de qualidade. Em parte, ainda são, mas num mundo cada vez mais competitivo, simplesmente cumprir já não é suficiente para seduzir novos clientes.

Hoje, Qualidade significa mais do que o resultado dos processos internos, e não se mede apenas à saída da linha de produção. As empresas mais inovadoras adotaram uma nova definição de Qualidade, que é tanto interna como externa: trata-se do valor acrescentado pelo qual o cliente está disposto a pagar. Além disso, a preocupação com a gestão da qualidade estende-se agora muito para lá da produção – está presente em todas as fases, do desenvolvimento à industrialização, e engloba todos os processos e áreas da organização.

Até o próprio termo “Qualidade” pode estar em risco de extinção. Como reforça Mário Fragoso, Quality Manager da Somengil, “no futuro, vamos deixar de falar de Qualidade para falar de Melhoria Contínua”. Este termo refere-se à abordagem mais holística e permanente que é necessário para permanecer competitivo.

Perante a complexidade de definir, medir e melhorar a Qualidade, é importante contar com as ferramentas certas para aumentar a fiabilidade e o desempenho de produtos e de processos. Aqui estão 8 ferramentas de qualidade que vale a pena considerar para se diferenciar da concorrência e para oferecer uma experiência superior à dos seus clientes.

1. PDCA, a ferramenta de qualidade que é a base de todas as outras

PDCA é a sigla para “Plan, Do, Check, Act”, e é uma ferramenta muito útil para gerir as oportunidades de melhoria numa empresa – seja porque um parâmetro de produção precisa de ser revisto ou porque a emissão de faturas envolve um processo muito manual. As quatro letras designam um estado diferente de implementação, desde que a ação é definida, até ser implementada.

O método de funcionamento não podia ser mais simples: identificado o problema e a causa raiz, é proposta uma ação de melhoria, à qual é associada uma data de conclusão e um responsável. Depois, esta ação é acompanhada regularmente e vai evoluindo nos estados à medida da sua implementação: “Do” para quando está em curso, “Check” para quando está sendo verificado e “Act” para quando é terminada. O segredo desta ferramenta reside precisamente nesta simplicidade que permite o envolvimento das equipes e num acompanhamento regular.

Para muitas empresas - como a Toyota que popularizou a ferramenta -, esta é mesmo a base do sistema de melhoria contínua – pequenas evoluções incrementais, todos os dias, são mais eficazes do que grandes projetos com elevado risco de atraso e de insolência mesmo antes de chegarem ao terreno. Também conhecido por método Kaizen, permite que a empresa seja transformada a partir de dentro. Vale a pena conhecer com mais profundidade esta ferramenta de qualidade.

2. Metodologia 8D, o poder de parar

Os erros podem acontecer, mas, quando se tornam sucessivos, passam a ser um padrão e a espelhar a empresa, pelo que é importante parar para solucioná-los de vez. A Metodologia 8D é uma ferramenta da qualidade que permite resolver as causas dos problemas através de 8 etapas estruturadas – da elaboração de um plano à comemoração do sucesso. O foco está em identificar a raiz do problema, implementar correções a curto prazo e também medidas com efeito a longo prazo para evitar que o problema ocorra novamente.

Ao proporcionar um roteiro estruturado, a metodologia 8D evita estas recorrências e serve de guia para toda a empresa lidar com os problemas – mesmo que isso signifique precisar interromper a produção. É possível conhecer melhor esta ferramenta de qualidade neste artigo.

3. Diagrama Ishikawa, para identificar as causas mais importantes dos problemas

O Diagrama Ishikawa é uma ferramenta de qualidade que se distingue por usar o desenho de uma espinha de peixe para identificar as causas de problemas complexos. Esta representação visual permite priorizar as causas-raiz mais importantes e categorizá-las de forma intuitiva em problemas relacionados com máquinas, mão-de-obra, meio ambiente, materiais, métodos ou medidas.

O formato gráfico é um auxílio visual poderoso para, de forma imediata, descobrir as principais causas de um problema, enquanto garante que nenhum elemento seja esquecido. É também uma excelente ferramenta para utilizar em equipe, em sessões de brainstorming. Não deixe de descobrir todas as potencialidades do Diagrama Ishikawa.  

4. Método 5W2H: o poder de síntese

O Método 5W2H é uma ferramenta da qualidade que reúne 7 perguntas standard para descrever um problema ou um projeto. “What, Why, Where, When, Who, How e How much” dão o mote para representar visualmente as respostas, num template simples de folha única, para que toda a equipe possa acompanhar.

Como se trata de um conjunto standard de questões, o método 5W2H pode ajudar a resumir, comunicar e resolver qualquer tipo de problema. O seu poder de síntese obriga a equipe a focar apenas no que é essencial, mesmo em situações complexas. As respostas devem ser curtas e objetivas, para que o mapa de atividades resultante seja claro. Descubra como utilizar o método 5W2H na prática.

5. Método DMAIC: fundamentar para melhorar

O método DMAIC é uma ferramenta de qualidade com 5 passos bem definidos para resolver problemas de forma estruturada. De acordo com a sigla, são eles Definir, Medir, Analisar, Melhorar (Improve, em inglês) e Controlar.

Esta linha de raciocínio permite reunir um conjunto de dados e informações importantes para tomadas de decisão estratégicas. Esse processo deve ser repetido até que a melhoria desejada seja atingida.

6. Metodologia 5S: a melhoria dos espaços

A Metodologia 5S tem como objetivo tornar os espaços mais produtivos, ergonômicos e seguros com menos desperdício e maior qualidade. O nome deriva de cinco termos japoneses que começam com a letra “S” e que representam os 5 passos necessários para obter uma área de trabalho lean.

A reorganização 5S permite que as equipes se concentrem no trabalho que efetivamente acrescenta valor, sem distrações desnecessárias - como a procura de materiais ou informação -, sem realizar movimentos desnecessários e sem despender de esforço excessivo. O resultado é um ambiente de trabalho mais agradável, seguro e eficiente. Descubra neste artigo como aplicar facilmente estes 5 passos na sua empresa.

7. Análise FMEA: antecipar para evitar

A análise FMEA “Failure Mode and Effect Analysis” é uma ferramenta de qualidade que permite antever possíveis falhas antes que ocorram. Em cada processo, identifica os riscos potenciais e as consequências previstas em caso de falha. Depois são definidas estratégias para evitar que essas falhas cheguem a ocorrer, ou para que possam ser resolvidas de imediato caso aconteçam.

Assim, este método é fundamental para evitar problemas ou mitigar os seus efeitos. Mais do que uma ferramenta de qualidade, é também uma ferramenta de gestão do risco. Explore neste artigo as potencialidades da análise FMEA para sua empresa.

8. Six Sigma: a busca pela perfeição

O objetivo do método Six Sigma é a atingir uma precisão de (quase) 100%. Para o efeito, procura um padrão de qualidade que possa ser sempre reproduzido, reduzindo assim as variações nos processos e oferecendo um produto final com qualidade consistente. Dessa forma, é possível garantir todas as características e integridade de um produto com um desperdício mínimo, mesmo que seja fabricado por diferentes operadores ou em diferentes momentos.

Para que o Six Sigma resulte, um processo não deve produzir um defeito mais de 3,4 vezes por milhão de ocorrências, o que é algo apenas ao alcance das empresas mais ambiciosas que procuram a perfeição. Conheça com mais detalhe esta ferramenta de qualidade.


Concluindo, estas são 8 ferramentas de qualidade que vale a pena conhecer. Muitas são complementares, pelo que não é necessário escolher apenas uma em detrimento de outras. De acordo com a realidade de cada empresa, estas ferramentas podem ser utilizadas em combinação para ajudar a desenvolver uma cultura de melhoria contínua.

Investir em ferramentas de qualidade passa também por ter os equipamentos certos. No caso específico da lavagem industrial, a MultiWasher apresenta-se como uma solução tecnologicamente avançada que permite a higienização de qualquer tipo de utensílio. Além disso, esta máquina tem ainda um desempenho sem precedentes quanto à sustentabilidade, ergonomia e design. Agende um webinar, sem compromisso, e comprove por si próprio o impacto que a MultiWasher pode ter na qualidade dos seus processos.

Regressar

Também pode gostar

Como escolher carrinhos de transporte: guia para o setor alimentar
Gestão / ArtigosArtigos
Como escolher carrinhos de transporte: guia para o setor alimentar

Deslocar cargas de forma rápida e segura não é uma tarefa fácil. Saiba como escolher carrinhos de transporte que agilizam o trabalho diário.

Postado em 2022-07-28

“Cumprimos com todos os objetivos aos quais nos propusemos”
Gestão / ArtigosArtigos
“Cumprimos com todos os objetivos aos quais nos propusemos”

Novos mercados, parceiros e inovações. Tony Ventura, CEO da Somengil, resume o ano passado e projeta o futuro do setor da lavagem

Postado em 2022-03-03

DMAIC: o que é, para que serve e como utilizá-lo
Gestão / ArtigosArtigos
DMAIC: o que é, para que serve e como utilizá-lo

Reduzir desperdício, resolver problemas e melhorar processos. Conheça o método DMAIC e descubra como implementá-lo na prática.

Postado em 2023-03-30

Menu